Paripe.net

Justiça concede liberdade provisória a suspeita de matar marido em Paripe

Imagem Responsiva
Imagem Responsiva


Justiça concede liberdade provisória a suspeita de matar marido em Paripe
Foto: Reprodução 

Presa na quarta-feira (24) depois de se apresentar na delegacia por matar o marido com tiros no abdômen, em Paripe, Daiane Campos Rosa, 20 anos, foi solta por determinação judicial um dia depois. 


O mecânico Alan dos Santos, 25 anos, foi morto dentro da residência do casal, depois de uma festa de São João no bairro. O corpo dele foi sepultado na manhã desta quinta-feira (25), às 10h, no cemitério Nossa Senhora do Ó, também em Paripe.


De acordo com a decisão judicial, emitida nesta quinta-feira (25), a concessão da liberdade provisória se deu devido ao fato de a réu ser primária, com bons antecedentes e possuir residência fixa. O pedido do Ministério Público foi acatado mediante a imposição de medidas cautelares, como comparecer a todos os atos do processo e mensalmente em Juízo para justificar suas atividades e não se ausentar da cidade mediante autorização judicial.


Segundo a polícia, os dois tinham um relacionamento conturbado marcado por brigas de ciúme, especialmente da parte de Daiane. Vizinhos chegaram a ouvir barulhos de briga vindos da casa na madrugada de quarta-feira (24), mas segundo eles isso era normal e ninguém procurou intervir.


O delegado Antônio Montenegro, responsável pelo levantamento cadavérico, disse que um dia antes do crime, Daiane começou a desconfiar de que Alan a traiu com uma tia de 35 anos.


A família de Alan, no entanto, diz que a suposta traição é mais uma manifestação da obsessão que Daiane tinha pelo marido. “Essas acusações eram frequentes. Ela já desconfiou que ele estivesse tendo um caso com a mãe dela”, afirmou Alane, irmã de Alan.


O casal já vivia juntos há sete meses, apesar dos acessos de ciúme cada vez mais constantes de Daiane. As brigas eram constantes e chegavam a envolver agressões físicas - há dois meses, ela chegou a dar uma facada nele. Em outra ocasião, ela tentou envenená-lo com chumbinho.


A família de Daiane diz que ela sofre de depressão e toma remédios controlados. Já parentes de Alan afirmam que a jovem não é acompanhada por médicos e utiliza medicamentos da mãe por contra própria. Parentes aconselhavam Alan a deixar a mulher, mas ele sempre a perdoava.

Fonte: Correio24horas