Paripe.net

Governo inicia operação de 1.200 novas câmeras inteligentes para a segurança pública

Imagem Responsiva
Imagem Responsiva


A partir desta terça-feira (14), 1.200 câmeras de reconhecimento facial, de placas e de análise situacional entram em operação em Salvador e região metropolitana, por meio da Secretaria da Segurança Pública (SSP). Os novos equipamentos ampliam a cobertura do sistema de monitoramento na capital, que já contava com 300 unidades e ajudou a retirar 256 criminosos das ruas desde a implantação do piloto em 2018. O governador Rui Costa acompanhou o início das atividades do serviço no Centro de Operações e Inteligência da SSP, no Centro Administrativo da Bahia (CAB).

Segundo Rui Costa, o projeto busca o que há de mais moderno para a comunicação e a atuação das Polícias. “Utilizamos um sistema de inteligência artificial para o monitoramento de lugares estratégicos, incluindo locais onde têm escolas, hospitais, estações de transbordo, entre outros. Estão convidados, portanto, a participarem e se incorporarem a esse sistema as associações empresariais, comerciais e de condomínios. A tecnologia garante um novo pensar e planejar da ação policial militar ostensiva e da ação de inteligência da Polícia Civil nas investigações de crimes e no planejamento preventivo”.

Com um investimento de R$ 665 milhões para a implantação, as novas câmeras são capazes de identificar a quantidade de público em um evento fechado, e realizar alertas de ultrapassagem de perímetro, que avisam se algum local previamente cadastrado foi violado.

Além da ampliação dos pontos com reconhecimento facial e de placas veiculares, a chegada dos equipamentos possibilita que o sistema de monitoramento ofereça a modalidade de análises de situações e comportamentos realizadas através de softwares.
O superintendente de Telecomunicações da SSP, tenente-coronel Renato Lima, explicou como é realizado o trabalho na prática. “O sistema é inteligente e envia alertas a partir de situações predefinidas aos centros de monitoramento, onde os analistas avaliam e enviam o recurso, uma viatura, para fazer aquele atendimento”.