Paripe.net

Celebrações do 2 de Julho terão ampla programação cívica e cultural e shows de Mariene de Castro e Cortejo Afro



As celebrações ao 2 de Julho em Salvador vão ocorrer entre os dias 29 de junho e 5 de julho, com uma ampla programação cívica e cultural que, mais uma vez, deve reunir e encantar milhares de baianos e turistas. A ação é promovida pela Prefeitura de Salvador, através da Fundação Gregório de Mattos (FGM), e conta com o apoio de diversas instituições.

A programação foi apresentada em coletiva de imprensa na noite desta terça-feira (18), no Espaço Cultural da Barroquinha, no Centro Histórico. O prefeito Bruno Reis, o presidente da FGM, Fernando Guerreiro, e o secretário de Cultura e Turismo (Secult), Pedro Tourinho, participaram do evento e falaram sobre a importância da Data Magna da Bahia.

Com o tema "2 de Julho: Povo Independente", as festividades deste ano já iniciam com uma novidade: no dia 29 de junho, ocorre a estreia do espetáculo de dança Ao Pé Do Caboclo, do Balé Folclórico do Bahia, inspirado na obra da coreógrafa Lia Robatto. A apresentação se repete no dia 30, sempre às 19h, na Praça do Campo Grande.

Já no dia 1º, véspera da Data Magna, quando os fogos simbólicos se encontram na capital baiana, ocorre no Largo de Pirajá um show especial do Cortejo Afro, a partir das 17h. No mesmo dia, a partir das 18h, ocorre a Ultramaratona da Independência, com 12 horas de prova, saindo da orla da Boca do Rio.

Passado o 2 de Julho em si, a programação cultural segue com apresentações artísticas até sexta-feira, dia 5, com atrações diárias. Vão se apresentar no palco montado na Praça do Campo Grande os cantores Jerônimo e Banda Mont Serrat e Mariene de Castro, além do Coral da Cidade do Salvador e do Baile da Independência com a Orquestra do Maestro Fred Dantas e convidados.

Por isso, o prefeito Bruno Reis afirma que a programação do 2 de Julho começa já com os festejos juninos e se estende até o dia 5. "Se onde nós vivemos em um estado democrático, se o Brasil avançou em várias conquistas desde a sua independência nos últimos 200 anos, o povo passou a ter condições de construir seu próprio destino, sua própria história, a Bahia foi decisiva para isso", disse.

"Então essa é a principal data do nosso estado, a data magna do nosso estado. Sem sombra de dúvidas, quando você enaltece, valoriza, reconhece a história, você faz com que ela seja transmitida para as próximas gerações, o que a gente tem que fazer cada vez mais, de forma que a geração que está chegando aí tenha orgulho dessa data, sinta amor pelo seu estado", acrescentou.

Tradição - O presidente da FGM, Fernando Guerreiro, foi quem apresentou a programação detalhada do 2 de Julho e ressaltou a valorização da tradição da festa. Ele salientou que neste ano serão mantidas ações realizadas também no ano passado, como o show do Cortejo Afro em Pirajá, o Encontro de Filarmônicas e o Festival de Fanfarras e Balizas. "Teremos o Balé Folclórico com a participação de mais de 100 artistas no espetáculo Ao Pé do Caboclo", destacou Guerreiro.

"Quem organiza o 2 de Julho de Salvador é a FGM, é a Prefeitura. É uma matemática, uma equação complexa fazer tudo acontecer daquele jeito na maior festa cívica do Brasil, a verdadeira independência do Brasil é o 2 de Julho. Então ver essa programação acontecendo, com esse cuidado, com essa preocupação com a identidade da cidade é super importante", afirmou o secretário Pedro Tourinho.

Fogos Simbólicos - Mais uma vez, o tradicional Fogo Simbólico deve visitar as cidades que participaram da luta pela independência. Pelo segundo ano consecutivo, as cidades do Recôncavo Norte também serão contempladas e, por isso, estão preparando uma bonita festa para recepcionar o símbolo. O ponto de partida ocorre às 7h do domingo (30), com a saída do Fogo Simbólico, vindo a leste via Recôncavo baiano, e a norte a partir da cidade de Mata de São João, ambas com destino a Pirajá.

O roteiro vindo do leste sai da cidade de Cachoeira com escalas em Saubara, Santo Amaro da Purificação, São Francisco do Conde, Candeias e Simões Filho. Do leste, a chama cívica deixa Salvador ao pôr do sol de quinta-feira (29), em direção à Mata de São João, completando o caminho de volta passando por Dias D'Ávila, Camaçari, Lauro de Freitas e Simões Filho, culminando na chegada a Pirajá.

Te Deum e Pirajá – Na segunda (1º), às 9h, acontece a celebração do Te Deum, na Igreja da Catedral da Sé, Terreiro de Jesus, com participação do Coral da Basílica do Bonfim, regido pelo maestro Francisco Carlos Rufino. Às 12h, em Simões Filho, acontece o encontro dos Fogos Simbólicos do Recôncavo Leste e do Recôncavo Norte.

Na tarde de segunda-feira acontece, às 16h, a cerimônia cívica da chegada do Fogo Simbólico, no Largo de Pirajá; o hasteamento das bandeiras por autoridades, seguido de execução do Hino Nacional pela Banda de Música da Polícia Militar do Estado da Bahia, e do acendimento da Pira e colocação de Flores no túmulo do General Labatut, pelas autoridades.

Data magna – Na terça (2), a manhã inicia com a alvorada com queima de fogos no Largo da Lapinha, às 6h. Às 7h terá início a cerimônia cívica contendo o hasteamento de bandeiras por autoridades, nova execução do Hino Nacional, desta vez pela banda de música da Marinha do Brasil. Às 8h10 acontece a colocação de flores no monumento ao General Labatut, realizada pelas autoridades presentes. A seguir acontece a entrega dos carros emblemáticos dos caboclos e a execução do Hino ao 2 de Julho, também pela banda de música da Marinha.

Às 9h, tem início o Desfile Cívico, com participação dos Caboclos de Itaparica, Museu Vivo na Cidade, Fanfarras Municipais, Estaduais e da Região Metropolitana de Salvador, Grupos Populares e realização do Concurso de Fachadas decoradas no Percurso compreendido entre o Largo da Lapinha e o Terreiro de Jesus. A seguir, acontece a homenagem aos Heróis da Independência, da Ordem Terceira do Carmo e a Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos.Para fechar a manhã, ocorre o recolhimento dos carros emblemáticos dos caboclos nos caramanchões da Praça Thomé de Souza.

Ainda na terça (2), a partir das 13h30, tem início o cortejo da Avenida Sete de Setembro, com uma breve parada em frente ao Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB). Às 14h, começa o Concurso de Fanfarras e Balizas, na Avenida Sete. A partir das 15h haverá uma cerimônia cívica no 2º Distrito Naval.

Às 16h, a cerimônia acontece no Largo do Campo Grande, seguida da chegada dos carros dos caboclos, hasteamento das bandeiras por autoridades, execução do Hino Nacional pelas bandas de música da Marinha, Exército e Aeronáutica, deposição de coroas de flores no Monumento ao 2 de Julho pelas autoridades presentes, com o posterior acendimento da Pira do Fogo Simbólico por um atleta a ser escolhido. Ao final acontece a execução do Hino ao 2 de Julho pelo Coral da PM-BA, com acompanhamento da Banda de Música Wanderley, da Polícia Militar.

Filarmônicas – A partir das 17h30, acontecerá o tradicional Encontro de Filarmônicas com Maestro Fred Dantas e participação da Banda de Música da Guarda Municipal, Filarmônica Ambiental de Camaçari, Filarmônica Ribeirinhos do Vale do São Francisco (Xique-Xique), Filarmônica Lyra Ceciliana (Cachoeira), Filarmônica Guerreiros do Sol (Dias D'Ávila) e Oficina de Frevos e Dobrados.

Shows - Na terça-feira, dia 3, a partir das 17h, o Campo Grande recebe o show do cantor Gerônimo e Banda Mont Serrat, em homenagem à data. Às 19h, o público será agraciado com a apresentação do Baile da Independência com Orquestra do Maestro Fred Dantas e convidados, também no Campo Grande.

A programação cultural segue no dia 04 com a apresentação do Coral da Cidade e, em seguida, o show da artista Mariene de Castro, também no Campo Grande. Já na sexta, dia 5, acontece a Volta da Cabocla - retorno dos carros dos Caboclos do Campo Grande para o Pavilhão da Lapinha com a participação da Orquestra do Maestro Reginaldo de Xangô. Às 20h, o Largo da Lapinha recebe o Samba de Caboclo.