Paripe.net

Subúrbio ganha escola novinha em investimento de R$4,3 milhões



Subúrbio ganha escola novinha em investimento de R$4,3 milhões
Foto: Valter Pontes / Secom

Salas ampliadas, áreas de convivência com grama e tapete sintético, refeitórios, brinquedotecas, rampas e banheiros adaptados erguidos em substituição a paredes infiltradas, telhados com goteiras, áreas com tubulações expostas e problemas com alagamentos. Com a reconstrução da Escola Municipal Esther Félix da Silva, na Rua Almirante Marques de Leão, em Fazenda Coutos, o ambiente escolar tornou-se muito mais confortável para que os alunos desempenhem com prazer o processo de aprendizagem.


Durante a inauguração de mais essa escola, na manhã dessa terça-feira (26), o prefeito ACM Neto ressaltou o quão gratificante tem sido investir na melhoria da educação. “Aqui nessa escola e na Municipal Fazenda Coutos, que fica ao lado, investimos cerca de R$ 12 milhões. Essa obra demonstra nitidamente o compromisso que temos com a educação. Um compromisso que não se constrói apenas com promessas, mas que é percebido através da transformação que estamos fazendo na Educação Pública. Somos a capital do Brasil que mais cresceu em posições do Ideb no Fundamental I, realizado pelo Ministério da Educação (MEC), e nós temos que continuar seguindo esse objetivo”, lembrou.


A cerimônia de inauguração foi realizada em clima de grande festa promovida pela equipe pedagógica, pelos alunos e pela comunidade. O prefeito ACM Neto foi recebido por uma apresentação de fanfarra e presenteado com a homenagem do estudante Cleber Rodrigues, que recitou o poema ‘A escola é’, e pela estudante Sarah Pereira, que cantou a música ‘Aleluia’, de Leonard Cohen. Além do prefeito, participaram do evento o vice-prefeito, Bruno Reis, o chefe de gabinete, João Roma, e o secretário municipal da Educação, Bruno Barral, além da fundadora da instituição, Esther Félix, e outras autoridades.


"Essa é mais uma obra cumprida do prefeito ACM Neto. No ano passado eu estive aqui com ele, mesmo ocupando outra pasta, quando foi assinada a ordem de serviço, e hoje viemos entregar essa escola com 20 salas e com capacidade para mil alunos, apesar de estarmos atendendo, no momento, com 700 alunos. Ganha a comunidade, ganha a criança e ganha a cidade com uma educação melhor, que permite ao aluno potencializar ao máximo a sua capacidade pedagógica e cognitiva", afirmou Barral. 


Com investimento de R$ 4,3 milhões, a unidade foi reconstruída pela Secretaria Municipal de Educação (Smed) em uma área de, aproximadamente, 832 m² e conta com 20 salas de aula, além de setor administrativo com diretoria, sala de professores e coordenação. Também há área de alimentação com cozinha, depósito de merenda, refeitório e área de Serviço. A reconstrução foi planejada em atendimento às normas de acessibilidade, incluindo rampas e banheiros adaptados, equipamentos que tornaram a escola mais inclusiva.


Investimento – Com a reconstrução da Esther Félix da Silva, a Prefeitura de Salvador já promoveu a recuperação de 216 escolas na capital baiana, o equivalente a 50% das escolas do Município. A unidade escolar dispõe dos segmentos Pré-Escola, Ensino Fundamental I e Educação de Jovens e Adultos (EJA I, II e III). O equipamento foi fundado pela assistente social Esther Félix da Silva há 34 anos, em atendimento a uma demanda da comunidade que, na época, havia migrado do bairro Malvinas (atual Bairro da Paz) para o Conjunto Fazenda Coutos.


A assistente social relatou a alegria de presenciar a reconstrução do equipamento que ela construiu com a ajuda dos moradores. “Dentre as homenagens que eu já recebi, essa para mim foi a maior honra. Alegra-me ao ver que um projeto idealizado para mim se transformou nesse lindo ambiente escolar”, disse.


Resultado – O resultado dos investimentos realizados pela Prefeitura já é notado a partir dos dados provenientes de avaliações da qualidade de ensino nos anos iniciais e dos dados levantados pela Smed. Salvador foi a capital brasileira que mais avançou na avaliação do Ideb nos últimos anos, saltando nove posições e alcançando a média de 4,7, acima da meta estabelecida pelo MEC de 4,2. Em 2007, o Ideb era de 3,8. Em 2009, caiu para 3,7. Com a nota de 2015, a cidade já supera, inclusive, o esperado para 2017, que é de 4,5. 


Além disso, entre 2014 e 2017, o Ensino Fundamental I, que atende estudantes do 1º ao 5º ano, apresentou uma redução de 48,8% da distorção idade-série. Enquanto em 2014, 31.629 alunos dessa etapa tinham atraso de dois anos na escola, esse ano, 16.201 estão nessa situação.

 

Imagem Responsiva









Imagem Responsiva