Paripe.net

Prefeitura inicia campanha de vacinação animal dia 3 de julho

Imagem Responsiva


O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Salvador, órgão vinculado à Secretaria Municipal de Saúde (SMS), inicia a Campanha de Vacinação Animal 2018 no próximo dia 3. A imunização antirrábica, gratuita para cães e gatos domésticos, estará disponível nos 96 postos físicos da rede municipal de saúde. De acordo com o CCZ, nos primeiros quatro meses deste ano, foram vacinados 12.193 caninos e 7.037 felinos. A campanha, que segue o cronograma do Ministério da Saúde, vai até o dia 18 de agosto.

Todos os cães e gatos a partir de três meses e fêmeas paridas há mais de 15 dias devem tomar a vacina. Os primovacinados (aqueles que receberam a dose inicial) também devem receber uma segunda dosagem após 30 dias. O CCZ alerta aos donos de animais domésticos sobre a importância da imunização dos animais. Ainda neste quadrimestre, o CCZ recebeu 408 solicitações suspeitas de raiva e atendeu a todas. Foram colhidas 225 amostras biológicas de animais suspeitos, sendo 158 primatas não humanos; 40 morcegos; 18 felinos e nove caninos.

Além de realizar rotineiramente ações preventivas no combate à raiva, o CCZ atua na prevenção e cuidados contra a leptospirose, Doença de Chagas, esquistossomose, leishmaniose e arboviroses (dengue, zika e chikungunya). Nos últimos sete meses, 6.163 atendimentos foram realizados. Atualmente, três mil agentes se dividem em equipes e vão a campo diariamente. A rotina é composta por visitas a imóveis, orientação à população e tratamento de depósitos onde podem ser encontrados os vetores das doenças.

CCZ – O Código Municipal de Saúde (Lei nº 5.504/99) determina que cabe à SMS o controle das zoonoses em todo o território de Salvador. A ação constitui objetivos básicos das ações e prevenção e controle de zoonoses, da promoção da saúde e do controle das populações animais de interesse à saúde humana.

Nos casos da Doença de Chagas, os agentes trabalham nas áreas mais suscetíveis para encontrar o vetor – domiciliares próximas a ambientes com vegetação ou que foram desmatadas. Para combater os focos do Aedes aegypti, os agentes de endemias realizam diversas ações de rotina, promovendo visitas domiciliares e em pontos estratégicos considerados criadouros potenciais, como cemitério, bueiros, oficina, borracharia, mercados e galpões que guardam materiais recicláveis.

Os casos de esquistossomose também são atendidos pelo CCZ, que faz a coleta de caramujos em coleções hídricas, geralmente canais, córregos e esgotos da cidade.  As vacinas ocorrem de segunda a sexta-feira nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e Unidade de Saúde da Família (USF). Os postos podem ser encontrados no Mapa da Saúde. Informações e denúncias podem ser feitas pelo telefone do CCZ, no (71) 3611-7331 e também por meio do Fala Salvador, no número 156 ou pelo site www.fala.salvador.ba.gov.br.

Imagem Responsiva










Imagem Responsiva