Paripe.net

Ocupação de leitos para crianças cresce na Bahia e secretário alerta: ‘Em breve irão contaminar os idosos’

Imagem Responsiva


A ocupação de leitos pediátricos exclusivos de covid-19, dedicados à crianças e jovens, tem crescido na Bahia. Atualmente, o estado está com taxa de 74% de ocupação das UTIs nesta categoria de paciente. O secretário estadual de saúde Fábio Vilas-Boas comentou, nesta quarta-feira (14), sobre esse aumento e alertou que o fenômeno pode ter ligação com o relaxamento nos cuidados contra a doença, sobretudo entre pessoas de 20 a 40 anos, que também vêm registrando aumento de infecção.

“Estamos observando ao longo das últimas semanas um aumento de ocupação nas UTIs e enfermarias pediátricas em todo o estado. Isso vem acontecendo paralelamente à mudança de faixa etária das pessoas que vêm sendo contaminadas. Hoje, nós temos um grande contingente de pessoas contaminadas entre 20 e 40 anos de idade, são exatamente essas pessoas que estão em praias, bares, paredões políticos e festas nos finais de semana”, disse. 

Para ele, essa é uma demonstração clara de que tem acontecido uma ‘flexibilização indevida’ entre essa faixa etária adulta, o que poderia explicar, em parte, a ocorrência do aumento do acometimento do público infanto-juvenil. “Em breve, irão contaminar, de novo, os idosos”, declarou o secretário.

A Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) acredita que o crescimento de casos pode estar relacionado aos comícios e passeatas políticas nas cidades do interior. "Já na capital, são as festas com paredões que são os maiores riscos. Também temos observado uma tendência de aumento de pacientes internados nos hospitais privados de Salvador, similar a fase inicial da pandemia, em março de 2020", afirmou o órgão.

O CORREIO tinha observado que desde a semana passada, em 8 de outubro, a taxa das UTIs já vinha em 74% e as enfermarias pediátricas em 62%. O Instituto Couto Maia, unidade de referência para casos graves da covid-19, estava com ocupação máxima das vagas destinadas para crianças e jovens, com pessoas internadas em suas 10 vagas. Procurada na ocasião, a Sesab informou que o estado possui, ao todo, entre UTIs e enfermarias, 70 leitos pediátricos, sendo que deste total 31 são UTIs. 

Quando consideradas só as UTIs, qualquer variação de apenas três pacientes tem a capacidade de oscilar 10 pontos percentuais para cima ou para baixo, explicou o órgão. Ao todo, a Bahia possui mais de 2,2 mil leitos de covid-19 ativos e o número limitado de 70 vagas pediátricas é explicado pelo fato de que apenas 4% dos casos confirmados no estado — 13.496 — são de pacientes de até 9 anos e um percentual muito menor precisou de internamento. Nesta quarta, o estado chegou a 329.787 casos acumulados de covid-19.

“Ressaltamos que monitoramos diariamente os leitos pediátricos e, caso necessário, abriremos novos leitos, mas isso não foi demonstrado até o momento”, disse a Sesab. 

Salvador

Na capital, a taxa de ocupação dos leitos pediátricos de UTI segue a mesma tendência, com 74%, e a de enfermaria com 59%, segundo dados do painel epidemiológico municipal desta quarta.

O prefeito ACM Neto demonstrou preocupação com o índice de ocupação das UTIs pediátricas em Salvador e afirmou na terça-feira (13) que a situação pode atrasar o plano de retomada das aulas na rede municipal de ensino.

"Todo movimento de aumento de casos representa um alerta para a prefeitura. Houve esse movimento que nos chamou a atenção e vamos aguardar pra ver se o aumento é momentâneo ou se é algo permanente. Mas é claro que tudo isso tem influência direta nas conversas para o retorno às aulas”, declarou Neto, durante a coletiva sobre a reconstrução da Escola Municipal Elisa Saldanha, na Fazenda Grande III.