Paripe.net

Marcos Medrado ameaça retirar apoio prometido à candidatura de Rui Costa

Imagem Responsiva


| |

Marcos Medrado
Foto: Rádio Clube de Valença

Um dos aliados do palanque eleitoral do pré-candidato Rui Costa (PT) à sucessão estadual sinalizou estremecimento nas relações com o governo. Um dos motivos seria o tratamento dispensado a Diego Medrado, filho do presidente da sigla, o deputado federal Marcos Medrado, que chegou a assumir o cargo de diretor de Orçamento da Bahiatursa, mas desistiu da função, após uma conversa com o presidente do órgão, Fernando Ferrero.

 

Além de Medrado, integram o partido, os deputados federais, Arthur Maia e Luiz Argolo. O SDD não participou da última reunião do Conselho Político e enviou uma carta a Rui Costa, cobrando compromissos firmados anteriormente. Nos bastidores houve rumores de possível aliança com a oposição, liderada pelo pré-candidato ao governo Paulo Souto (DEM), mas o fato foi negado pelo líder partidário.

 

Em conversa com a reportagem da Tribuna  ontem, Medrado confessou que havia uma “insatisfação localizada”, o que ainda não seria motivo para rompimento com o governador Jaques Wagner (PT).  Porém, deixou claro que vai colocar as cartas na mesa a fim de decidir o futuro e principalmente o rumo nas eleições de outubro. “Claro que somos um partido e queremos saber de nossa participação que até agora não foi cumprida”, cobrou.

 

Segundo o deputado, na correspondência enviada a Rui, eles enfatizam a direção antes tomada. “Fizemos cobranças de compromissos feitos com o governo Wagner e não cumpridos até agora”,afirmou. Conforme o dirigente, caso não haja respeito a esse atendimento, o partido pode rever o seu posicionamento. Nacionalmente, o SDD já confirmou o apoio ao presidenciável, Aécio Neves (PSDB).

 

O deputado Arthur Maia também frisou que existe um “descontentamento” já explicitado ao próprio postulante petista.
“Esperamos que muito em breve o partido possa ser convidado para uma conversa”, disse. Maia, porém descartou que haja uma condução de diálogo com a oposição. “Até porque para nós iniciarmos um entendimento com o outro grupo é preciso encerrar com o atual. Estamos solicitando essa conversa, que deve acontecer depois do feriado”, disse. 

Fonte: Tribuna da Bahia

Imagem Responsiva









Imagem Responsiva