Paripe.net

Estudantes do Subúrbio realizam projeto sobre passagem do tempo



Televisão de tubo, máquina de escrever manual, disco de vinil (LP) e telefone de discar são alguns dos objetos que compõem o projeto “O tempo não para...”, protagonizado pelos estudantes do Colégio Estadual Bertholdo Cirilo dos Reis, localizado no bairro de Plataforma, no Subúrbio Ferroviário de Salvador. O trabalho interdisciplinar tem como proposta desenvolver a noção do tempo histórico a partir da vida social, organizada por meio da história e da interação entre o tempo da natureza e o tempo dos homens. Para isso, os estudantes realizam pesquisas, exposições e até se vestiram de personagens que marcaram época no cinema e na literatura.
 
A professora de Língua Portuguesa e coordenadora do projeto, Lurdes de Paula Pedro, explica que as pesquisas desenvolvidas pelos estudantes identificaram as diferentes maneiras de representação da passagem do tempo e sua subjetividade, levando-os a um passeio histórico nas diferentes áreas do conhecimento. “Para possibilitar o desenvolvimento da noção de tempo histórico em nossos alunos primeiramente despertamos neles as noções que antecedem esse tempo. Ou seja, introduzimos questões que aguçaram a curiosidade neles sobre a percepção de tempo, por meio de objetos e fatos, trazendo o aprendizado de forma lúdica”, explica, referindo-se à metodologia do trabalho. 
 
A evolução do cinema, por exemplo, foi o tema abordado pelo estudante Deivid Silva de Oliveira, 17, do 3º ano do Ensino Médio, junto à sua equipe. “Estamos tratando sobre o cinema desde quando ele foi criado, através da passagem do tempo e toda sua evolução até os dias atuais. Além disso, estou aprendendo, com este projeto, a importância da nossa evolução através do tempo como seres humanos e os atuais processos pelos quais estamos vivenciando”, conta.
 
Samara Freitas dos Santos, 17, 2º ano, fala sobre o seu envolvimento com o projeto. “Eu sou líder de classe, ajudei na arrumação do espaço e estou colaborando para recepcionar os estudantes e visitantes. Estou aprendendo muito sobre nossa evolução e de nosso país, vou em todos as salas conhecer cada tema e vou anotando o que mais me chama a atenção em cada um para que eu possa pesquisar mais depois e conhecer mais profundamente as diversas passagens do tempo”.
 
O projeto “O tempo não para...” faz parte dos pilares para a garantia do direito de aprende do estudante, que envolve: currículo, formação, acompanhamento e avaliação – temas discutidos na Semana Pedagógica de 2019.