Paripe.net

Estudantes apresentam experimentos em Feira de Ciências no Subúrbio Ferroviário

Imagem Responsiva


| |

Estudantes apresentam experimentos em Feira de Ciências no Subúrbio Ferroviário
Foto: Ascom/SEC

O Colégio Estadual Democrático Bertholdo Cirilo dos Reis, no bairro da Plataforma, no Subúrbio Ferroviário de Salvador, foi transformado em um grande centro de exposições para a realização da I Feira de Ciências. O evento, que começou nesta quinta-feira (25) e prossegue até esta sexta (26), reúne 48 estandes de experimentos e instalações, além de apresentações artísticas de dança, teatro e música. Por todos os lados é possível ver o resultado de projetos desenvolvidos em sala de aula, que estimulam o interesse dos estudantes pelas Ciências. 


Entre os projetos apresentados na feira, que tem como tema ‘Escola e comunidade para educar e transformar’, muitos têm um foco na sustentabilidade socioambiental e mostram diferentes alternativas de reuso e reciclagem de garrafas PET. Em um dos estandes, os alunos explicam como é possível fazer sabão com a reutilização de óleo de cozinha e em outro, abordam a energia solar como alternativa sustentável. 


O evento acontece nos três turnos escolares, envolvendo os estudantes dos ensinos Fundamental II e Médio, da Educação Profissional e da Educação para Jovens e Adultos (EJA). O vice-diretor Renato Bispo afirma que a comunidade escolar está muito envolvida, sendo uma experiência importante para todos. “O nosso objetivo é despertar a essência científica dos nossos estudantes, buscando, com isso, estimular a relação de ensino e aprendizagem, além de fomentar o protagonismo deles na construção do seu conhecimento, dentro de uma visão sustentável, ecológica e cidadã”. 


A Dejanira Santos, 18 anos, 3ª série do Ensino Médio, destaca a a importância da feira para o processo de ensino e aprendizagem. “Está sendo uma experiência incrível trabalhar com temas atuais e essenciais, como ‘Química cidadã’, por meio da qual trabalhamos em cima da reciclagem e reutilização como forma de preservar o meio ambiente”. Segundo a aluna, a comunidade do entorno foi conscientizada pelos estudantes sobre a importância do descarte correto do óleo para não causar prejuízo ao meio ambiente. “Sem falar que, além de aprendermos sobre a importância da reciclagem, produzimos um produto de utilidade pública”. 


Reciclagem x reutilização 


O estudante Felipe Santos, 18, 3ª série, também está empolgado com o experimento voltado à reciclagem (reprocessamento para transformar um produto em um outro material) e reutilização (reaproveitar um produto em diversas outras possibilidades de uso) da garrafa PET. “É interessante porque, antes de partir para esta experiência, não sabia a diferença entre reciclar e reutilizar, embora ambos sejam processos importantes para o meio ambiente e para a gestão de resíduos, com o objetivo de combater o desperdício. A partir de 1990, com o aumento da garrafa PET no mercado, é que começou a preocupação com a sua reciclagem e reutilização para não sobrecarregar o meio ambiente, já que ela tem uma duração de 750 anos”.


A professora de Língua Portuguesa, Lourdes de Paula, reforça que a feira mostra as possibilidades de fazer Ciências para além do cotidiano. “Há uma instalação, por exemplo, que faz um link com o livro Ensaio sobre a cegueira (José Saramago), para mostrar a diferença entre o ver biológico e o enxergar, que possibilita observar o mundo em suas diversas possibilidades”. Outro projeto interessante, diz a educadora, é a mostra ‘Do vinil ao vinil’, “que traz a pesquisa sobre a evolução tecnológica dos recursos sonoros, a partir do disco de vinil, que já foi uma única possibilidade sonora e volta como uma das possibilidades”.

 

Imagem Responsiva









Imagem Responsiva