Paripe.net

Estudantes aprendem práticas de primeiros socorros no bairro de Plataforma

Imagem Responsiva


| |

Estudantes aprendem práticas de primeiros socorros no bairro de Plataforma
Foto: Divulgação

Algumas técnicas de primeiros socorros podem salvar vidas. Os estudantes da rede estadual que participam dos cursos oferecidos pelo Centro de Esportes, Artes e Cultura César Borges, localizado no bairro de Plataforma, no Subúrbio Ferroviário de Salvador, estão recebendo instruções sobre o assunto do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Durante recente palestra realizada na unidade da rede estadual de ensino, os estudantes foram orientados como agir em situações emergenciais, a exemplo de desmaios e acidentes. A ação também envolveu a participação de familiares, funcionários e pessoas da comunidade.


O enfermeiro e socorrista do Samu, Nilson Júnior, demonstrou como é possível identificar e avaliar riscos de morte em diferentes situações, bem como obter ajuda especializada para o prosseguimento do atendimento. Para isso, foram realizadas simulações de como um prestador de socorro deve agir em caso de convulsão, desmaio, trauma na cabeça, queimadura, ferimento e outros casos. 


Jorgemar de Jesus Sousa, 22 anos, do 3° ano do Colégio Estadual de Plataforma, e que em turno oposto à escola regular participa de atividades complementares no Centro de Esportes, Artes e Cultura, conta que a palestra foi muito proveitosa. “O que aprendemos pode ajudar a salvar a vida de uma pessoa e, por isso, devemos ter noções de primeiros socorros. Agora já sei como aplicar uma massagem cardíaca, verificar a pulsação e o que fazer com uma pessoa em ataque epilético”, diz o estudante.


Para Alexandre Carneiro dos Santos, 17, aluno do Colégio Estadual Luis José de Oliveira, as informações são valiosas. “É muito bom poder ser útil para ajudar alguém em uma situação de emergência que possa acontecer no nosso dia a dia”, afirma o estudante participante das aulas de música do Centro. O professor de Educação Física, Ivã Carlos de Pinho, também acredita que “é muito importante que as pessoas saibam como agir em determinados momentos para socorrer uma vítima da melhor forma possível”. 

 

Imagem Responsiva









Imagem Responsiva