Paripe.net

Artesãs da Guerreira Zeferina de Periperi se preparam para expor produtos na Vila de Natal

Imagem Responsiva


Artesãs e doceiras moradoras da comunidade Guerreira Zeferina, em Periperi, no Subúrbio Ferroviário, vão participar do Natal Sempre Solidário, ofertando seus produtos na Vila de Natal, no Campo Grande, entre este sábado (21) e segunda (23), das 17h às 22h. Bijuterias, garrafas personalizadas, panos e toalhas bordadas a mão, berimbaus, bonecas, doces, bolos e artigos natalinos são alguns dos itens que serão comercializados. 

Capacitadas por meio de cursos profissionalizantes oferecidos pela Prefeitura, a maioria delas vive da produção artesanal e nunca teve oportunidade de participar de uma feira livre. O Natal Sempre Solidário é uma iniciativa da Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre).

O clima entre elas é de muita expectativa. Para a artesã Joice Silva, 32 anos, será uma experiência incrível. "Não vejo a hora de montar minha banquinha e ganhar meu trocado", comenta. Há 5 anos, retira da produção artesanal de garrafas personalizadas com imagens de santos o sustento do filho. "Eu já sabia fazer, depois que participei do curso me profissionalizei e agora tenho faturado um bom trocado com as vendas aqui mesmo no conjunto e também pelo meu facebook", diz.

Os produtos são diversificados. A artesão Marta da Silva, 38 anos, fabrica berimbaus, argolas e colares. Animada, ela vê na feira a possibilidade de mostrar seus artigos para baianos e turistas. "Estou feliz demais só em participar de um evento como esse e mostrar o que faço com tanto amor já é uma benção". Mãe de três filhos, ela aposta que com a participação na feira vai aumentar a renda para assegurar a ceia natalina das crianças. "A cidade está cheia de turistas, vou vender bastante e fazer um Natal bonito na minha casa", diz.

Para a assistente social da Sempre Tiara Rocha, a participação das mulheres da comunidade Guerreira Zeferina no Natal Sempre Solidário é fundamental para fortalecer o empreendedorismo local e resgatar a autoestima. "Fazemos um trabalho social com elas. São mulheres que tem muito sofrimento em suas histórias e graças a capacitação e ao trabalho social, elas têm conseguido refazer suas vidas e até mesmo se tornar provedoras do sustento de suas famílias. Elas estão realmente radiantes com a participação na Vila de Natal. Estão se sentindo empoderadas e felizes", finaliza a assistente social.