Paripe.net

Seis monumentos são restaurados e devolvidos com QR Code à população

Imagem Responsiva

Após um período de ausência das ruas, mais seis monumentos foram restaurados e devolvidos à população de Salvador pela Prefeitura, por meio da Fundação Gregório de Mattos (FGM). Através de um trabalho cuidadoso realizado sob a responsabilidade do restaurador Gianmario Finadri, as peças estão de volta para apreciação e já integradas à modernidade com o projeto #Reconectar: informações em QR Code que podem ser acessadas pelo celular ou tablet.


Os monumentos recuperados são os bustos em bronze de Nelson Mandela, na Liberdade; de Catulo da Paixão Cearense, na Fazenda Grande do Retiro; de Heitor Dias, na avenida de mesmo nome; e do Major Cosme de Farias, em Cosme de Farias. Além disso, também foram restaurados o painel de azulejos da chegada do governador Thomé de Souza a Salvador, no Porto da Barra, e o Chafariz de Lord Cochrane, na Avenida Garibaldi.


Desde 2013, já foram restaurados cerca de 50 monumentos históricos na capital baiana, a exemplo do Marco de Fundação da Cidade do Salvador, no Porto da Barra, da imagem dos músicos carnavalescos Dodô e Osmar, na Praça Castro Alves, o painel de Carybé, na Rua Chile e o Cetro da Ancestralidade, no Rio Vermelho. Até agosto deste ano, cerca de R$ 1,3 milhão foram gastos com a recuperação destas estruturas em razão de roubos e vandalismo.


Dentro do projeto #Reconectar, 25 monumentos passaram a contar com informações digitais que contam a história da obra, por meio de uma placa com o código QR Code.  A ação foi lançada em 17 de agosto deste ano, em meio ao Dia do Patrimônio Histórico Nacional.

Imagem Responsiva










Imagem Responsiva